Mesmo sem saber quando e quais destinos estarão abertos para turistas brasileiros, programar a viagem dos seus sonhos em tempos de pandemia talvez seja uma opção vantajosa, principalmente, porque esta é uma decisão que, em muitos casos, demanda planejamento financeiro. Com o dólar nas alturas, a necessidade de isolamento social, e a crise econômica provocada pelo coronavírus, muitas famílias tiveram que adiar seus planos de viagem, mas o avanço da vacinação mostra que é possível voltar a sonhar desde que haja disciplina para organizar o próprio orçamento.

 

O primeiro passo é colocar em dia possíveis contas atrasadas. Não dá para viajar se existem dívidas a serem acertadas e que vão comprometer o seu planejamento em longo prazo. Com as dívidas quitadas, o segundo passo é controlar gastos diários e mensais. Com isso será possível identificar onde você está gastando mais dinheiro para cortar supérfluos e economizar nas contas essenciais, como água e luz, por exemplo. Cortar ou diminuir gastos é essencial para fazer uma reserva de viagem. Disciplina e foco são palavras de ordem.

 

Com o orçamento organizado, comece calculando os gastos de acordo com o destino. Dependendo dessa decisão, muitas vezes, eles começam antes mesmo de embarcar, com passaporte, visto para entrada, e seguro saúde, obrigatório em vários países. Na maioria dos casos, a passagem representa o maior custo da viagem, por isso é preciso pesquisar com bastante antecedência. Ao saber quanto será sua despesa de ida e volta, ficará mais fácil organizar quanto poderá gastar com hospedagem, passeios e alimentação.

 

A noção do montante que precisará levar também te ajudará na hora de calcular quanto vai gastar com a moeda estrangeira que pretende levar. Seja qual a for a moeda ou o montante, não tente adivinhar o melhor momento para realizar essa compra. A melhor dica é: compre aos poucos. Assim você conseguirá um melhor preço médio do que a cotação de última hora. A decisão sobre quanto vai precisar levar para a viagem depende também de quais serão suas formas de pagamento. Se vai levar cartão de crédito para poder parcelar os gastos, lembre-se que isso também deve entrar no seu planejamento, já que, na volta, terá que contar com essa fatura mais robusta na hora de pagar. Além disso, esses gastos também vão diminuir o limite do seu cartão. Cartões pré-pagos também oferecem comodidade e têm a vantagem de serem carregados antes da viagem com valores que cabem no seu planejamento. Se houver imprevistos, basta solicitar a recarga de valores adicionais, mas isso só acontecerá se você extrapolar o seu orçamento inicial.

 

Planejamento financeiro é essencial para realizar o sonho de fazer aquela viagem tão sonhada. Mas lembre-se que a escolha do destino, do período da viagem (se alta ou baixa temporada), e de sua duração também são importantes para que ela se torne viável financeiramente. Planejar, avaliar prós e contras, e pesquisar todos os possíveis imprevistos nunca é demais para que essa experiência seja realmente inesquecível.